Como o autoconhecimento pode ajudar você a manter o foco e aumentar a produtividade

Há algumas semanas um amigo muito querido sugeriu que eu escrevesse um artigo dando dicas de como focar em conteúdos relevantes. Isso aconteceu depois que ele leu um dos meus artigos, em que reflito sobre a relação entre o consumo exacerbado de informações e sanidade mental.

Aposto que você, vez ou outra, já se sentiu perdido em meio aos feeds de notícias que despejam informações nos canais digitais. Aposto, também, que seu cérebro já ficou cansado ao consumir tantas informações.

Além de incapacitar nosso potencial de armazenar informações importantes, o consumo desequilibrado de conteúdo estimula a inércia. Estamos em uma era em que nos informamos muito e fazemos pouco. É fácil se distrair. Nesse contexto, fica difícil manter o foco e aumentar a produtividade.

Eu poderia montar uma lista sobre alguns hábitos em que tenho trabalhado para fazer essas duas coisas. Entretanto, preferi falar de um ponto crucial se você pretende se movimentar e incorporar o conhecimento que tem na palma da mão: o autoconhecimento. 

Manter o foco é mais fácil quando você sabe o que quer

Poucas coisas são executáveis sem foco. Sem um objetivo claro, fica difícil entender como o conteúdo que você está consumindo se relaciona com o que você faz, como faz e por que faz. 

Notou que aí temos três perguntas importantes?

O que você faz?

Como você faz?

Por que você faz?

Para responder a essas três perguntas, é necessária uma boa dose de autoconhecimento. A partir do momento que você sabe o que faz, como faz e por que faz, é possível descobrir qual tipo de conteúdo, sendo ele um artigo, um curso ou o que seja, vai corresponder aos seus objetivos e aumentar sua produtividade. 

Lembrando que você, dona de si mesma ou dono de si mesmo, pode fazer absolutamente o que quiser com o tempo que tem disponível. Fique à vontade para viver experiências que não têm nada a ver com seus objetivos. Ninguém é obrigado a ter foco e a ser produtivo 100% do tempo.

Porém, voltando ao assunto: se você não se conhece muito bem, manter o foco fica mais difícil. 

Pense em um plano de longo prazo. Uma pessoa que não saiba o que quer não pode se planejar. Ela não sabe qual curso escolher, a qual cargo aspira e quais serão as ações que construirão seu futuro. Sem objetivo, como você faz para chegar a algum lugar?

Outro ponto relevante é que, quando não sabemos quem somos ou o que queremos, fica fácil satisfazermos os desejos dos outros e não os nossos. É o case (super comum) da pessoa que veste a camisa da empresa e se doa incondicionalmente ao trabalho sem se atentar à sua vida pessoal e às suas próprias vontades.

Como podemos nos conhecer?

Somos diferentes e o que funciona para um não necessariamente funciona para o outro. É justamente por isso que gosto de fugir daqueles roteiros de vida que já vêm prontos e que parecem tão simples quanto fazer um miojo.

Ainda assim, vou sugerir algumas coisas que podem ajudar na sua busca pelo autoconhecimento. Tente dar uma chance ao que fizer sentido dentro do seu contexto, ok?

Faça terapia. Leia mais. Planeje – e faça – uma viagem. Converse mais com pessoas com quem você tem pouco contato. Escreva – um diário, um livro, poesia. Estude um novo idioma. Pratique esportes. Faça trabalho voluntário. Procure novos gêneros musicais. Tente cozinhar coisas que nunca fez antes. Vá a um restaurante novo. Dê e receba feedback. Registre suas opiniões. Saia para beber com os amigos. Faça mais – ou menos – networking. Doe roupas e utensílios que você não usa. Fale sozinho.

Uma vez que você se aventurar e tentar algo novo, vai descobrir do que gosta e do que não gosta. Costumo dizer que saber o que não queremos já é saber alguma coisa. Comece por aí, se for o caso. Ouça a si mesmo, a como você responde às coisas novas e velhas e o que quer para si mesmo.

Lembrete! O autoconhecimento anda lado a lado com as mudanças que queremos ver no mundo e como queremos fazer isso. É por isso que é tão importante termos uma identidade e um diferencial. Assim, fica mais fácil sermos fiéis aos nossos valores e objetivos.

O autoconhecimento é um exercício constante

O mais legal sobre o autoconhecimento é que ele não é só mais uma tarefa que você risca da sua lista. Na verdade, se conhecer é uma atividade contínua, que vai permitir que você descubra coisas novas sobre si mesmo e sobre o mundo dia após dia. 

Por ser um exercício constante, você estará sempre descobrindo quais são as maneiras de focar no seu objetivo e aumentar sua produtividade.

Pode ser que o ócio criativo, por exemplo – aquele em que você não faz nada e ideias interessantes começam a pipocar na sua cabeça -, seja para você. Mas pode ser que não.

Pode ser que você funcione melhor de manhã, ou que seja mais criativo no final da tarde. Ou até de madrugada, quem sabe.

Pode ser que você precise de uma rotina de trabalho de oito horas diárias para entregar todas as tarefas e resultados. Porém, pode ser que apenas seis horas sejam o suficiente.

A única maneira de saber é testando métodos. Assim que você tiver uma ideia clara do que faz, como faz e por que faz, foque em entender quais ferramentas e processos ajudam você a aumentar a produtividade e manter o foco. Depois, siga trabalhando para aprimorá-los.

Afinal, como uma pessoa “autoconhecedora”, você estará sempre em evolução. Seria estranho se seus métodos não estivessem, certo? 


Gostaria muito de saber suas impressões sobre a reflexão que esse artigo propõe. Por isso, não deixe de comentar! Vou adorar conhecer suas ideias.

Foto por Diego PH.

2 comentários em “Como o autoconhecimento pode ajudar você a manter o foco e aumentar a produtividade

  1. Parabéns pelo texto, é verdade quem não tem plano, também não planeja levantar para fazer coisa alguma, a mente não tem estímulo ou motivos, sabe que não tem nada pea fazer ou que quer não fazer nada. Manter o focos sem se conhecer é como pilotar um carro de fórmula 1 sem habilitação, não vai dar certo. Mas quando nos conhecemos, conjugar o que queremos é quase automático, porque a mente procura e logo se vislumbra com aquilo que gostamos, da água na boca, brilho nos olhos, é quando está paquerando um curso, uma profissão, não sai da cabeça, então o focar tem estimulo e o estímulo gera resultados surpreendentes. Mas quem quer inércia não liga pra si mesmo, por isso prefere o Facebook pra se divertir ou se distrair com as obras alheias pq fazer nada por si já é o bastante.

    Sucesso. Você tem um belo dom de escrever e explicar com propriedade, e isso inspira pessoas.

    Curtir

    1. Obrigada pelo comentário e pelo apoio, Maurício! Realmente, eu quis mostrar que, antes de sairmos seguindo listas que prometem que sejamos mais produtivos fazendo isso ou aquilo, devemos nos conhecer bem para entender por que fazemos o que fazemos. Não adianta nada seguir listas à riscas sendo que ficamos no mesmo lugar, certo?

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s