Por que você deveria escrever

“Escrevo para descobrir o que sei.” A frase é de Flannery O’Connor, escritora norte-americana que usava o estilo gótico sulista em seus textos. Separadas por trinta e três anos no tempo e por visões de mundo diferentes, eu e Flannery temos uma coisa em comum: também escrevo para descobrir o que sei.

Para mim, a escrita é uma ferramenta poderosa de autoconhecimento e de reconhecimento. Se não escrevo, sinto que estou perdendo algo de mim mesma. E do mundo também. 

Escrever pode parecer uma atividade solitária, mas exige que aquele que escreve saia de seu quarto de tempos em tempos para ver o mundo. Ouvi-lo. Tentar entender o que ele diz – e sei que todo mundo, todo mundo mesmo, tem algo para contar.

Todo mundo, também, tem o potencial de se identificar com as histórias de outras pessoas. E, dentre todos os motivos pelos quais acredito que você deva escrever, este é o principal.

Os benefícios da escrita

Independente de onde você nasceu, da sua profissão e do que gosta de fazer, você deveria escrever. Qualquer tema é realizável. Quer falar sobre tecnologia? Contabilidade ou viagens? Gastronomia e cultura pop? A escrita te receberá de braços abertos – e pode nunca mais te soltar, esteja avisado.

Alerto também que você não estará sozinho. A escrita tem o poder de unir pessoas e possibilitar a partilha de informações. Ela exige leitura, observação e troca de ideias, garantindo aprendizado constante para quem escreve.

Depois de aprender, a pessoa que escreve precisa articular ideias a fim de montar textos coesos com os quais outras pessoas poderão se identificar. Há quem diga que, depois de começar a escrever regularmente, conseguiu até redigir melhores e-mails e argumentar mais claramente.

Por meio da escrita, você também pode entreter e educar. Converse com potenciais leitores e tente entender o que eles precisam, quais são as suas dores e dúvidas. Ou, até, se faça algumas perguntas para gerar conteúdo relevante e educativo:

Que tipo de dicas você gostaria de ter tido quando iniciou sua carreira?  Quais são as mudanças que estão ocorrendo no seu mercado? O que você aprendeu em seu ramo de atuação que poderá ajudar outras pessoas? E, até: quais são as dúvidas que você tem?

Transforme suas perguntas em histórias e deixe que as pessoas se conectem com elas! 

Você não precisa mostrar o que escreveu se não quiser

Recentemente, comecei uma rotina de escrita a que estou tentando me manter dedicada e fiel. Escrevo de manhã, quando meu cérebro fica mais arejado e criativo. Nem sempre tenho um tema em mente. Saio escrevendo o que me dá na telha. 

O resultado são textos livres e espontâneos que raramente serão compartilhados. Ainda assim, escrevê-los foi muito útil. A prática da escrita pode não trazer resultados imediatos, mas certamente te ajudará a produzir conteúdos mais coerentes e explorar o que melhor funciona para você.

Por meio do exercício constante da escrita, torna-se mais fácil assimilar conteúdos e solucionar problemas com os quais nos deparamos no dia a dia. 

Darei um exemplo. Escreva uma redação sobre um tema pelo qual você se interessa e, depois, siga uma rotina de escrita. Tome algumas decisões sobre quantas palavras você quer escrever por dia e por quanto tempo pretende manter essa rotina. Depois de um tempo, escreva um novo texto sobre o mesmo tema. Compare ambos os textos. É muito provável que o segundo seja mais coeso e tenha informações melhor posicionadas.

Me avise caso tope o desafio, hein?

Não espere estar pronto para começar 

Se você está se perguntando por onde e como começar, vou dar uma resposta bem simples: comece agora. Escreva. Palavra após palavra, deixe que as ideias fluam e coloque para fora o que está pensando ou sentindo.

Algumas vezes, quando começo um texto, não sei necessariamente o que irei concluir. De vez em quando, suspeito. Mas a escrita vai ligando ponto por ponto até que eu me depare com uma verdade que estava, até então, escondida.

Quando começar a escrever, esqueça o perfeccionismo e desbloqueie a criatividade. Deixe que as palavras tomem forma sem compromisso. Você não precisa de fórmula mágica, nem de ABNT, nem de maestria ortográfica para começar.

Você tampouco precisa de um tema socialmente visto como relevante. É possível tanto escrever sobre o seu trabalho quanto sobre a receita de torta da sua avó, seus sonhos de infância, sua última viagem e o quanto você ama seu animal de estimação.

Apenas escreva. Você vai descobrir coisas sobre si mesmo das quais não fazia ideia – como acontecia com Flannery O’Connor e como acontece comigo.


Espero ter persuadido você a deixar a inércia de lado e usufruir dos benefícios da leitura! Também espero continuar a discussão nos comentários.

Vamos compartilhar ideias?


Foto por Thought Catalog

3 comentários em “Por que você deveria escrever

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s